Projeto da Cervejaria Caboca (PA) recebe R$ 5,2 mi

O imóvel que será sede da Cervejaria Caboca, em Belém (PA), receberá R$ 5,2 milhões do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO) para implantação e reforma. O investimento no projeto visa promover o desenvolvimento econômico e geração de emprego.

A Cervejaria Caboca irá fabricar e comercializar cervejas especiais e sazonais, com ingredientes amazônicos e insumos de arranjos produtivos regionais.

As cervejas serão fabricadas a partir do cacau e da mangaba, por exemplo, e outros frutos típicos que serão comprados de agricultores familiares, fortalecendo as cadeias produtivas locais.

A expectativa é iniciar atividades da cervejaria em junho de 2017 e produzir, inicialmente, cerca de 80 mil litros por mês e gerar mais de 50 empregos diretos e 300 indiretos.

A empresa será instalada em um casarão de dois andares, datado do século XVII, localizado na maior área turística da cidade.

A ideia é transformar a Cervejaria em um centro de cultura amazônica, comercializando também itens do cardápio regional e do português, além de shows.

A produção e consumo de cervejas artesanais no Brasil cresceram nos últimos anos, segundo pesquisa do Portal Cervesia e do Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja (Sindcerv).

Em 2011, o País possuía cerca de 200 microcervejarias e cervejarias regionais, a maioria nas Regiões Sul e Sudeste.

O Pará produz cerca de 300 milhões de litros/ano de cerveja artesanal, dos quais 20% são exportados para outros estados.

Financiamentos

A cerimônia de assinatura do financiamento, já aprovado pelo Banco da Amazônia (Basa), ocorreu na quinta-feira (22) e contou com a presença do ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho.

Os fundos estão sob gestão da Secretaria Nacional de Fundos Regionais e Incentivos Fiscais (SFRI), do Ministério da Integração Nacional, que tem a função de fomentar projetos voltados para empresas de pequeno e médio porte, localizadas nos estados da Região Norte.

Para obter o financiamento do FNO, o interessado deve procurar uma agência do Banco da Amazônia (Basa) em sua região e apresentar o projeto.

O benefício é voltado a produtores e empresas, pessoas físicas e jurídicas, além de cooperativas que desenvolvam atividades produtivas nos setores agropecuário, mineral, industrial, agroindustrial, de empreendimentos comerciais e de serviços da Região Norte, de acordo com as prioridades estabelecidas nos planos regionais de desenvolvimento.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Integração