PIB do Acre fica entre os cinco que mais cresceram no país

O Acre está entre os cinco Estados brasileiros que obtiveram a maior taxa de crescimento no Produto Interno Bruto (PIB) em 2014, na comparação com 2013. Os dados são da pesquisa Contas Regionais 2014, divulgada nesta segunda-feira, 28, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE),

No levantamento, o Acre aparece com um crescimento de 4,4% de sua economia. Os demais são Tocantins (6,2%), Piauí (5,3%), Alagoas (4,8%), e Mato Grosso (4,4%).

A pesquisa revela que outros também obtiveram crescimento, mas os Estados do Norte e Nordeste cresceram acima da média. Dos 27 Estados da federação, quatro apresentaram recuo neste mesmo período. As maiores quedas foram no Paraná (-1,5%) e São Paulo (-1,4%).

Superando a crise

O PIB representa a soma de todos os bens e serviços finais produzidos numa determinada região, durante um período específico. E é um dos indicadores mais utilizados na macroeconomia com o objetivo de quantificar a atividade econômica de uma região.

Ainda assim, mesmo com o país vivendo uma das maiores crises econômicas, o Acre colhe os frutos de seu modelo de desenvolvimento, com o governador Tião Viana apostando durante seu governo em uma série de investimentos no setor produtivo e na expansão da área industrial, com incentivos e planejamento estratégico desenvolvidos pelo governo do Estado.

Os resultados são tão expressivos que o Acre também se destacou como único Estado da Região Norte – e um dos sete do país – que alcançou superávit primário nas contas de 2016, tendo mais receitas que despesas.

Setores que cresceram

Entre os setores que se destacam, um dos principais é a atividade agropecuária, que representou 10,7% do total do valor adicionado bruto estadual em 2014. A agricultura contribuiu com crescimento de 16,2%, enquanto a pecuária, com 5,2%, influenciada pelo aumento na produção de mandioca (32,0%) e de bovinos vivos (3,8%).

Outro setor que registrou expansão foi a indústria, que aumentou 6% em termos reais, influenciada pelos resultados da indústria de transformação (11,7%) e da construção (4,4%).

Já o setor de serviços obteve crescimento de 2,7% em seu valor adicionado bruto e participou com 77,9% do valor adicionado total do Estado em 2014. As atividades que mais contribuíram para esse resultado foram o comércio e as atividades imobiliárias, com crescimento em volume de 7% e 2%, respectivamente.

Vale ressaltar ainda que o crescimento acumulado do PIB do Acre entre 2011 e 2014 foi de 18,2%, o oitavo maior entre as unidades da federação.