O que torna uma cidade criativa e inovadora ?

 

 

Pedro Paulo Cordeiro é arquiteto e urbanista

 

 

 

Uma pergunta talvez fácil de responder, entretanto na prática não é tão simples, pois o sucesso da empreitada depende em grande parte da relação equilibrada entre Poder Público, investidores, empreendedores, academia e população em geral, com um profundo desejo de transformação de um espaço urbano subutilizado ou degradado. Diversas cidades vêm no decorrer das últimas décadas fazendo intervenções urbanas, com foco na qualidade de vida de seus habitantes, pautadas por premissas sustentáveis, dentre estas podemos citar Curitiba no Brasil e Copenhague capital da Dinamarca.

Entretanto, atualmente existe uma cidade que desponta neste quesito, trata-se de Medellin. Considerada na década de 90, como uma das cidades mais violentas do mundo, devido ao narcotráfico, apresentava dados alarmantes de 7.000 homicídios/ano, conseguiu em apenas duas décadas, reverter a triste realidade em uma transformação impressionante, com uma redução da criminalidade em 80%, recebendo inúmeros prêmios, como por exemplo o de “Cidade mais inovadora do Planeta” em 2013 do Wall Street Journal e o Urban Land Institute, recebendo também em março deste ano o GEC – Congresso Global de Empreendedorismo.

Essa transformação além do combate intenso ao narcotráfico foi combinada com diversas ações contínuas de redesenho urbano, implantação de escolas, museus, bibliotecas, parques e ainda sistema de mobilidade em áreas carentes, ou seja, mais pobre da região, em concomitante com um projeto educacional, pedagógico e empreendedor. O resultado deste esforço conjunto entre Poder Público com a participação direta da população é exatamente o resgate das pessoas e do território que viviam a mercê dos grupos de traficantes.

As intervenções urbanas foram fundamentais para este resgate, entretanto a implantação da Ruta N em 2006 potencializou em larga escala a melhoria de vida de seus habitantes, pois é um parque de inovação criado pela Prefeitura de Medellin, instituições públicas e UNE Telecomunicações, com o apoio de diversas instituições de ensino e grupos de ciência e tecnologia.

O complexo funciona para potencializar o empreendedorismo e inovação, onde ocorrem capacitações, apoio a empreendedores de negócios digitais, indústria criativa dentre outros. Isto acoplado também ao Tecnoparque, uma aceleradora de inovação, cujo objetivo é o fortalecimento de ideias e sua potencialização. Caso o empreendedor necessite de investimentos para iniciar ou desenvolver projetos e produtos, também tem a Innpulsa, empresa criada para financiar acesso ao capital.

Na Ruta N não basta criar, deve-se inovar, exemplo claro deste lema é o empreendedor Camilo Herrera, que criou um projeto social denominado Um Litro de Luz, utilizando uma bateria que armazena raios solares e uma garrafa de um litro de água no lugar da lâmpada instalada em postes, resultado aplicado com mínimos recursos em áreas precárias de iluminação pública. Exatamente quando a inovação e o empreendedorismo são utilizados para a melhoria da qualidade de vida urbana.

Outro exemplo envolveu cerca de 2.000 cidadãos de 16 comunidades e 5 zonas rurais, com um trabalho de inovação colaborativa em 2013, foram captadas 130 propostas vindas destes, onde 8 foram selecionadas, 7 empresas da cidade para a execução das propostas, 120 empregos diretos e indiretos gerados com um resultado, 150.000 cidadãos beneficiados com a implantação destas.

Esta Instituição possui uma clara missão para 2021, que a inovação seja o principal impulsionador da economia da cidade, tornando-se cada vez mais conhecida internacionalmente, atraindo inúmeras empresas e investidores. De certeza com todo este empenho governamental e envolvimento das empresas e da sociedade, este será mais um triunfo para Medellin.

Nosso País, possuindo centenas de cidades com problemas urbanos, como moradia, infraestrutura, saneamento básico poderia se espelhar em ótimos exemplos como este.