Evento ‘Mão na Massa’ realiza mentorias e visitas especiais para empreededores da floresta

Na última terça-feira (06) teve início o evento de desenvolvimento de negócios “Mão na Massa”, realizado pela Incubadora da Fundação Amazonas Sustentável (FAS) com apoio do Fundo Newton, Bradesco, Fundo Amazônia/BNDES e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam). A iniciativa tem como objetivo qualificar empreendedores no desenvolvimento de sete modelos de negócios inovadores apoiados pela Incubadora da FAS, durante dois dias de atividades imersivas.

O “Mão na Massa” reuniu 15 empreendedores ribeirinhos das cadeias produtivas de cacau, turismo, óleos vegetais, farinha, pirarucu, madeira e açaí. Durante os dois dias de atividades, eles tiveram a consultoria de mentores de Manaus que tem negócios em áreas similares. Segundo Wildney, é uma oportunidade de trocar experiências com quem já empreende na prática. “Queremos que esses mentores possam contribuir efetivamente com nossos empreendedores da floresta, trocando experiências da dificuldade diária de empreender”, afirma. Os mentores convidados focaram no ensino de negócios em três módulos: mentalidade empreendedora, voltado para criatividade e inovação; financeiro, com foco na viabilidade econômica das ideias e o módulo de comercialização.

“A proposta do evento é levar as ideias para a prática com a ajuda dos mentores. É realmente possibilitar que esses empreendedores coloquem a mão na massa”, afirma Wildney Mourão, coordenador de Empreendedorismo e Negócios Sustentáveis da FAS.

Além das mentorias realizadas na sede da FAS, os participantes realizaram também duas visitas técnicas a locais que são referências em inovação em Manaus. O primeiro é o Impact Hub Manaus, espaço de trabalho colaborativo, e o segundo é o Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE), onde conheceram as empresas incubadas Amazon Doces e Temperos da Amazônia.

Para Mailson Gondim, que trabalha com a cadeia de óleos vegetais e açaí na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) de Uacari, o evento é uma oportunidade de intercâmbio para acelerar os resultados nas empresas incubadas. O desafio de empreender se torna ainda maior no âmbito da floresta amazônica, fazendo com que uma etapa em especial seja essencial: o planejamento. “Com o evento, temos uma troca de experiências que impacta diretamente no desenvolvimento do negócio. Podemos utilizar ideias de outros e aplicar à nossa realidade. Para 2017, pretendemos aumentar a capacidade produtiva na nossa empresa usando as ferramentas do Lab”, declarou.

 

Fonte: FAS

Foto: Divulgação