Ludymila foi a primeira representante do Amazonas na famosa maratona de programação na Globo

Formada em Ciência da Computação, Ludymila Lobo foi a única amazonense a participar, nos últimos dias 13 e 14 de maio, da Hackathon Globo 2017, competição de programação que acontece na mesma casa em que ficam confinados os participantes do Big Brother Brasil, no Rio de Janeiro. A programadora de 24 anos, esteve entre os 54 participantes da maratona que durou mais de 30 horas.

Antes de confirmar sua participação, Ludymila precisou passar por um processo seletivo bastante criterioso.  Na primeira etapa eram averiguados itens como o currículo dos participantes, redes sociais  e os projetos já realizados, através de um formulário online.  Na segunda e última etapa do processo, os candidatos participavam de uma entrevista por telefone, onde outros aspectos eram avaliados.

O evento recebeu participantes de todo o Brasil, mas a predominância do sudeste se refletiu na equipe com quem Ludymila trabalhou, onde estavam dois participantes de São Paulo e outro de Fortaleza.  Essa integração entre os colegas de equipe foi um dos pontos destacados  por ela, como positivos em sua experiência. O networking e o desenvolvimento de estratégias complexas e em conjunto também foram relevantes durante o processo.

Ludymila, a equipe com quem desenvolveu o projeto e o apresentador do G1 em 1 Minuto, Cauê Fabiano.

Apesar do longo período de duração e da experiência do confinamento, Ludymila conta que por ser programadora, já está habituada a esse tipo de rotina. Segundo ela, o pouco tempo para o desenvolvimento da tecnologia foi o maior desafio da maratona. Além disso, outros pontos fizeram com que o desgaste físico fosse esquecido:  “Conheci o diretor de tecnologia da globo, a Fernanda Gentil. A gente pensa que a Globo é só a televisão, o jornalismo, mas por trás de tudo aquilo tem uma equipe gigante que pensa e desenvolve tecnologia, muitas pessoas de T.I. que fazem um trabalho incrível”, diz ela.

A palavra Hackathon é derivada da junção de duas outras palavras da língua inglesa: hacker e marathon. A proposta da Hackathon Globo 2017 foi justamente promover uma maratona de programação, que unisse participantes de todo país e fizesse com que juntos pudessem desenvolver soluções para a distribuição de conteúdo no jornalismo, esporte e entretenimento, tema da edição 2017 .